“Unidade complexa dotada de sistema de monitorização contínua que admite pacientes potencialmente graves ou com descompensação de um ou mais sistemas orgânicos e que com o suporte e tratamento intensivos tenham possibilidade de se recuperar” (Resolução 81 – 5 de janeiro de 1995 – CREMESP).

Neste setor o paciente terá um Médico Veterinário voltado exclusivamente para o seu cuidado, com completa monitoração (eletrocardiograma, pressão invasiva, capnografia e oxímetria, além dos parâmetros vitais). Terá suporte de oxigenioterapia e Ventilação Mecânica inclusos na diária, caso esses sejam necessários.

A UTI é um setor recente na medicina veterinária, que surgiu devido a demanda de pacientes graves no atendimento clínico e que haviam necessidade de monitoração intensiva e cuidados especializados. O Centro Veterinário Cambuí trouxe à Campinas e região a 1º Unidade de Terapia Intensiva ,com supervisão de profissionais especializados no setor e estrutura completa de equipamentos.

Ventilação Mecânica

“Na medicina, a ventilação mecânica é o método de substituição da ventilação normal. A ventilação mecânica pode salvar vidas e é usada na ressuscitaçãocardiopulmonar, medicina de tratamento intensivo* e anestesia. Em muitas situações o organismo é incapaz de manter o ciclo respiratório corretamente, que é representado pelo processo de inspiração e expiração. A ventilação mecânica corresponde a instituição de pressão positiva nas vias aéreas permitindo, de forma artificial, que o indivíduo mantenha os ciclos ventilatórios adequados. É um método de substituição de função vital, sendo útil como um auxílio ao tratamento de algumas doenças.” (Apostila de enfermagem em unidade de terapia intensiva, 2010 – Profa. Dra. Sueli Fonseca)

Quando indicar UTI?

A UTI deve ser indicada em pacientes potencialmente graves e com instabilidade dos parâmetros vitais e hemodinâmicos. Algumas doenças comumente vistas e que possuem indicação:

  • Insuficiência Respiratória (Ex.: Edema Pulmonar ou Pneumonias graves)
  • Controle de crises convulsivas
  • Controle de Dor (Ex.: Pós operatório e Pacientes com tratamento paliativo)
  • Trauma cranio encefálico
  • Politraumatismo
  • Alterações metabólicas (Ex.: Cetoacidose diabética e Crise addisoniana)
  • Insuficiencia Renal Aguda ou Crônica agudizada (Devido as alterações metabólicas, eletrolíticas e clínicas)
  • Insuficiência Circulatória (Ex.: Cardiopatias graves e Anemias graves)
  • Pós operatório de cirurgias complexas (Ex.: Torção gástrica, Coluna e Cirurgias torácicas)
  • Pancreatite aguda
  • Hipertensão arterial sistêmica
uti-2